terça-feira, 4 de março de 2014

Um novo fator social-cultural move a política mundial, Leiam a história da humanidade se formando!


No ano passado (não recordo o mês), postei algo (relativo à imagem abaixo) sobre uma “Nova Guerra Fria”, onde agora os partícipes são Estados Unidos, China e Rússia. Muitos não consideraram que haja uma “Guerra Fria” entre essas Nações, mas vejam hoje o que passa o Mundo, na chamada “Crise ucraniana”!
Pois bem, ainda não tinha me pronunciado sobre esse fato por ainda esperar um pouco mais o desenrolar dessa história, que começa com a recusa do Presidente ucraniano de aceitar fazer um acordo para entrar na União Europeia. Bom, diferente do que já vi que certos “extremistas” de direita postaram aqui no face, nada tem a ver a tal situação com comunismo, afinal, já faz tempo que a União Soviética deixou de existir e nem a Ucrânia, muito menos a Rússia (herdeira da URSS) são países comunistas. Lá, a situação tem mais a ver com questões de corrupção e até étnicas, pois quase a metade da atual Ucrânia tem descendência russa.
A Ucrânia é um país estratégico, serve como “elo” entre o oriente (Rússia) e o ocidente (Europa), por lá, são passado mais de 60% do gás que a Rússia produz e que a Europa consome. Desde o fim da URSS, em 1991, a Ucrânia tentou levar uma vida “independente” da influência russa, antes “senhora” de suas ações, até conseguiu por um tempo, pelo menos durante o restante dos anos de 1990 e começo dos 2000, mas após a ascensão do atual presidente russo, Vladimir Putin, que reergueu a economia russa fazendo-a, novamente, “pôr as cartas na mesa” no jogo político do Mundo! A Ucrânia é muito dependente da Rússia, recebe mais da metade do gás que consome, por suas “ligações” históricas, sofre grande influência cultural russa e por isso há imensas regiões do país, no leste e sul, que são formadas por grande maioria de russos, a Crimeia é um exemplo disso. Depois de criada a zona econômica europeia, muitas ex- Repúblicas socialistas “cobiçaram” e conseguiram entrar no bloco, as mais recentes são as ex – Repúblicas soviéticas Lituânia, Letônia e Estônia, mas, depois de analisar as “propostas” do bloco europeu o Presidente da Ucrânia, Viktor Yanukovich, decidiu recusar entrar no bloco e daí começou essa crise!
Mas não pensem que a coisa é tão simples assim, não pensem que a União Europeia quer a Ucrânia a seu lado apenas por que quer ser “amiga” deste país! Por ser uma área estratégica e por fazer fronteira com uma potência Mundial, que na maioria das vezes foi hostil a Europa, seria de muito interesse, para a Europa, tê-la sob seu controle e assim poder tirar a Rússia de cena! E o que tem a ver os Estados Unidos com isso?!
Ora meus amigos, sabemos muito bem que os EUA nunca dá “ponto sem nó”, o interesse do “Tio Sam” para que a Ucrânia esteja sob a “tutela” europeia nada mais, nada menos do que pôr naquele país uma bateria antimísseis com o objetivo de “proteger” os aliados de possíveis ataques terroristas! Ô, como os EUA é bonzinho, sempre pensa nos outros! Sei.
Os EUA, como sempre, quer o Mundo de joelhos a seus pés, como a Rússia recuperou seu “status” de potência Mundial e que agora, ao lado da China, impõe suas vontades provocou a ira do Tio Sam! Lembremos aqui também a “derrota” diplomática dos EUA no caso da Síria, onde eles queriam, mais uma vez, invadir e foram barrados pelos russos. Daí, aproveitando-se de uma insatisfação do Povo ucraniano, pelo menos parte dele, por não entrarem na EU e também devido a corrupção do governo, os EUA e a UE lançam ao Mundo uma campanha anti-russa para mostrar que o Kremlin é que quer “destruir” a paz mundial e que eles são os “mocinhos”!
Não nos iludamos, neste quesito não há vilões ou mocinhos, se a Rússia é “imperialista”, os Estados Unidos e a União Europeia são muito mais, é só vermos o caso da Inglaterra que já quer fazer um referendo para saber se sai do bloco! Aliás, mesmo sendo um corrupto sem escrúpulos, o presidente Viktor Yanukovich, percebeu que se saísse das “mãos” de apenas um “senhor, a Rússia, caria nas de pelos menos dois, Alemanha e França, e de um “soberano”, os Estados Unidos. A UE, entenda-se Alemanha e França, “pintam e bordam” no bloco, querem e sempre conseguem impor suas vontades, vejamos a Grécia e Portugal que tiveram que seguir direitinho as ordens desses países. A grande estadista, Margareth Thatcher, nunca confiou no bloco europeu, tanto é, que a Inglaterra não aboliu sua moeda, a Libra, e adotou o Euro, Thatcher sabia que se um bloco fosse criado, Alemanha e França seriam as mandantes, pois possuem as maiores economias do continente. Recordemos também que a Inglaterra e a própria França não queria a “reunificação” alemã pois sabiam que uma Alemanha unida seria tão imperialista quanto eles!
Então, voltando à Ucrânia, não creiam nas notícias que passam na TV, pois se a Rússia é a vilã, muito mais são os EUA e a UE, pois eles só querem defender seus próprios interesses, aliás, a UE, neste caso, representa os interesses mais dos EUA, afinal, a Europa nada mais é do apenas um mero capacho dos EUA, pois desde o fim da Segunda Guerra Mundial, não possui o “poderio” que tinha e depende da ajuda da poderosa Nação norte americana! Enfim, o que menos estão querendo é o bem dos ucranianos, ambos, Rússia, EUA e UE, apenas querem medir forças e impor sua vontade aos mais fracos e só!
A “Nova Guerra Fria” está no ar, Rússia e Estados Unidos, mais uma vez, estão se estranhando e a China, até agora, só observa, para vê quem vai derrubar...
Que Deus tenha piedade do Mundo.

Texto escrito por: https://www.facebook.com/marcelino.souzasilva.9