DICIONÁRIO AULETE

iDcionário Aulete

terça-feira, 31 de dezembro de 2013

Primeiro Aluno Da Classe Filme

Educação
Podemos definir o conceito de educação integral a partir de um dito* que diz que “para educar uma criança, é preciso uma aldeia inteira.”
Para educar um indivíduo é preciso envolver e articular diversos outros indivíduos, tempos e espaços. Afinal, somos todos sujeitos completos, totais, com as mais diversas características, necessidades e possibilidades de aprendizagem ao longo da vida.
Compreende-se, então, que:
-     A educação é por definição integral à medida que deve atender a todas as dimensões do desenvolvimento humano e se dá como processo ao longo de toda a vida. Assim, educação integral não é uma modalidade de educação, mas sua própria definição;
-    Espaços, dinâmicas e sujeitos são objeto de aprendizagem e também seu fim, o sentido próprio para o qual converge a construção de qualquer conhecimento. Assim, mais do que um conjunto de espaços a cidade é compreendida como território educativo e o binômio escola-comunidade é sua síntese.
Nessa perspectiva, todos – escola, família, comunidade e a própria cidade –, são educadores e aprendizes de um mesmo e colaborativo processo de aprendizagem.

Além da definição acima temos muitas outras tantas visões: vertical e horizontal. Por isso são bem mais profundas, e dentro desta apresentação tentaremos fazer  com que a sociedade, e seus seguimentos, entendam a importância da educação. Hoje temos em evidência, entre outros comportamentos inadequados,  a luta contra a atitude homicida  denominada bullying, que é realizada como entretenimento de pessoas em várias faixas etárias, e mata a alma e depois o corpo, ou deixa a vítima com profundas sequelas para o resto da vida.
“Nota: Bullying é um termo da língua inglesa (bully = “valentão”) que se refere a todas as formas de atitudes agressivas, verbais ou físicas, intencionais e repetitivas, que ocorrem sem motivação evidente e são exercidas por um ou mais indivíduos, causando dor e angústia, com o objetivo de intimidar ou agredir outra pessoa sem ter a possibilidade ou capacidade de se defender, sendo realizadas dentro de uma relação desigual de forças ou poder.
O bullying se divide em duas categorias: a) bullyingdireto, que é a forma mais comum entre os agressores masculinos e b) bullying indireto, sendo essa a forma mais comum entre mulheres e crianças, tendo como característica o isolamento social da vítima. Em geral, a vítima teme o(a) agressor(a) em razão das ameaças ou mesmo a concretização da violência, física ou sexual, ou a perda dos meios de subsistência.”
Fonte: www.brasilescola.com / sociologia / bullying.htm

Para vermos como a educação é um exemplo de superação e força individual ou de um grupo vamos assistir o filma anexo.

 

sábado, 28 de dezembro de 2013

Liberto para sempre

 
O que ser quando já se foi estabelecido?
Qual a vantagem desta liberdade?
Liberdade regulamentada  e outorgada.
Como será a liberdade sem ser influenciada?

Livre ou libertino?
Falar com sinceridade,
Tornar-se-ia indigno?
Comparado é ao que faz maldade.

Assim amam limitadamente
Divididos por classes e raças.
Ama-se a que pode ser publicadamente.
Liberto ama, sem classes, sem crenças.
Mostrar menos

terça-feira, 24 de dezembro de 2013

terça-feira, 17 de dezembro de 2013

Só se explica o amor pelo amor







O amor não precisa do sexo.
O amor é completo e agrada também com o sexo.
O amor vive fora do corpo, mas o orquestra divinamente.
O amor é espírito, é alma e não um corpo.
Diz o amor para a beleza:
- não se faz prioritária uma farta mesa.
O amor nunca diz somente sim...
O amor é forte e diz não...
O amor faz tudo com excelente propósito.
O amor é unanime.
O amor chega junto, mas dá o seu ápice do prazer.
O amor é feliz quando sente o reflexo da felicidade.
O amor não conta tempo, vive fração por fração.
O amor não compara; é cego, não vê defeito.
O amor se cala e espera...
O amor luta para ver o amor crescer...
O amor faz regenerar o amor.
O amor é o único que sabe “sexologar”.
A briga no tatame do amor há sexoinflar.
O golpe certeiro do amor, para de prazer lágrima derramar.
O amor sofre, dói, espera, luta, acredita.
O amor não se irrita e por isso grita:
- sou longânimo, sou feliz e eternamente vencedor.

quarta-feira, 11 de dezembro de 2013


MARCAS DA MODA



Marca e Moda