sexta-feira, 30 de agosto de 2013

Inexplicável amor




 


 
A dor de esquecer o sabor
Prazer, paixão e o amor.
Sexo, calor e o inexplicável.
Lençol arrumado é inconsolável.

domingo, 25 de agosto de 2013

Ainda falando sobre o Arcadismo







O inicio do século XVIII é marcado pela decadência do pensamento barroco, cujos fatores básicos são: o exagero da expressão barroca, que havia cansado o público; a ascenção da burguesia supera o domínio religioso; o surgimento das primeiras arcádias, enfatizando a pureza e a simplicidade.
A para Arcadismo tem sua origem em Arcádia, uma antiga região da Grécia, de relevo montanhoso, habitada por pastores que conciliavam os seus trabalhos com a poesia, cantando o paraíso rústico em que viviam e simbolizando-o como uma terra de inocência e felicidade.
O Arcadismo desenvolveu-se ao longo do século XVIII, influenciado pela Revolução Francesa, movimento revolucionário de ideologia liberal burguesa, responsável pela queda do absolutismo e da economia mercantilista e pela extinção do artigo sistema feudal. O Arcadismo ficou também conhecido por setecentismo (os ano 1700) e neoclassicismo e refletiu uma época que ficou conhecida como o Século das Luzes ou iluminismo, movimento filosófico cujo objetivo era o de defender a liberdade de pensamento e usar a razão como instrumento de análise e de domínio da realidade. Lutaram contra os excessos do Barroco e defenderam um arte racional e didática.
Dentre os diversos pensadores iluministas, destacam-se:
·        Voltaire – possuidor de ideias filosóficas e políticas, mostrou em suas primeiras obras seu estilo satírico e anticlerical, criticando ferozmente a Igreja de sua época. Proclamou ódio pelas monarquias absolutas e sua admiração pela monarquia liberal inglesa. Suas principais obras foram: Édipo, A henríada, Cartas Filosóficas, Cândido ou o Otimismo e o Dicionário Filosófico.
Rousseau – com sua teoria do bom selvagem, defendeu a natureza virgem e foi admirador do homem selvagem. Desprezou o otimismo um tanto ingênuo dos enciclopedistas. Afirmou que as artes e as ciências tinham contribuído para o progresso da humanidade, mas também a corromperam. Escreveu Discurso sobre as Ciências e as Artes  e Do Contrato Social. Posteriormente, deu ênfase à importância da Educação, com sua obra Emílio.
Inspirados nestes pensadores e suas teorias, os árcades voltam-se para a natureza em busca de uma vida simples, bucólica e pastoril, fugindo, assim, dos centros urbanos. A natureza passa a ser, então, um refúgio ao homem civilizado.
Sua preocupação prioritária era a de formular uma sociedade mais igualitária. Teve sua fundação no culto das ciências. Da razão e do progresso.
De espírito reformista, o Arcadismo pretende, reformular o ensino, os hábitos e as atitudes sociais. Propunha a restauração da simplicidade na linguagem, abandoando as figuras de linguagem – antíteses, metáforas, paradoxos – dando mais ênfase a um linguagem direta.
Em oposição aos artistas barrocos, que preferiam a fuga da realidade, o Arcadismo valoriza o tempo presente.
O artista árcade, além de tomar a vida campestre e suas paisagens como modelos, incorpora, em suas obras, a mitologia, usando-se de deuses e heróis da história grega.
Resumidamente falando, podemos citar diversas características da arte literária arcadista:
1. Vota aos modelos Greco-romanos;
2. predominam a razão e a ciência, em  oposição à fé e a religião.
3. há o retorno ao equilíbrio, reagindo contra os preceitos barrocos quanto ao desequilíbrio;
4. buscam a perfeição da forma;
5. procuram um estilo simples de linguagem, despojando-o das metáforas e hipérboles deixadas pela estética anterior;
6. utilizam-se da natureza em suas poesias, tornando-as de aspecto bucólico e ingênuo;
7. dão ênfase à linguagem simples, porém, sem prender a sua nobreza;
8. possuem uma tendência introspectiva.
9. há o culto excessivo à natureza;
10. a linguagem torna-se melodiosa;
11. usam pseudônimos pastoris. Ex Elmano Sadino (Bocage).
Este movimento chega a Portugal em 1756 com a fundação da Arcádia Lusitana e teve seu término em 1825, com a publicação do poema Camões,  de Almeida Garret.
Com o lema da Arcádia Lusitana de cortar as coisas inúteis, os árcades passam a buscar, então, a simplicidade, a linguagem mais clara, a metrificação simples e o uso de versos brancos (sem rima).Permanece a presença da mitologia Greco-romana e há uma restauração de alguns escritores como Virgílio, Horácio, Teócrito, Camões e São de Miranda.
Com o governo de Marquês de pombal, há em Portugal uma preocupação em modernizar a sociedade portuguesa e expulsar os jesuítas do sistema educacional português. Daí o Marquês de Pombal ser conhecido como déspota esclarecido.
Resumidamente falando, podemos citar diversas características da arte literária arcaica:
1.  volta aos modelos Greco-romanos e à arte camoniana.
2. Predominam a razão e a ciência, em oposição à fé e a religião.
3. Há o retorno ao equilíbrio, reagindo contra os preceitos barrocos quanto ao desequilíbrio.
4. Buscam a perfeição da forma.
5. Procuram um estilo simples de linguagem, despojando-se das metáforas e hipérboles deixadas pela estética anterior.
6. Utilizam-se da natureza em suas poesias, tornando-as de aspecto bucólico e ingênuo.
Dão ênfase à linguagem simples, porém, sem perder a sua nobreza.
8. Possuem uma tendência introspectiva.  
9. Há o culto excessivo  à natureza (rococó).
10. A linguagem torna-se melodiosa.
11. Usam pseudônimos pastoris. Ex Bocage (Elmano Sadino).

sexta-feira, 23 de agosto de 2013

Prova Mensal de Técnica de Redação 8º ANO - TENIR





Escola Tenir
Corumbá, MS., ____ de __________________de 2013.
Nome: __________________________________________________ 8ª__.

Prova Mensal de Técnica de Redação
Camundongo criado em laboratório japonês canta como passarinho
Da France Presse

A Universidade de Osaka, no Japão, divulgou nesta terça a foto de um camundongo geneticamente modificado que canta feito um passarinho.
               Cientistas japoneses disseram que a criação de um animal como esse representa uma evolução. Eles esperam que a descoberta indique caminhos para compreender as origens da fala humana.
               Segundo o líder dos estudos, Arikuni Uchimura, várias gerações foram modificadas para ver qual seria o resultado. “Um dia, encontramos um deles que cantava feito uma ave”, comentou. “Fiquei surpreso porque estava esperando um camundongo com um tipo físico diferente”, disse.
               Agora, os cientistas querem ver se há conotações sociáveis nos novos sons e como eles podem afetar o relacionamento entre camundongos comuns.
               O camundongo é resultado de pesquisas realizadas pelo departamento de biociência da instituição.
Disponível em:
<HTTP://www1.folha.uol.com.br/ciencia/849009-camundongo-criado-em laboratorio-japones-canta-como-passarinho.shtml>
 1.-Para compor o lide, o redator se faz perguntas cujas respostas o ajudam a sintetizar as principais informações, que serão desenvolvidas no corpo do texto. Preencha o quadro, identificando as informações contidas no lide da reportagem “Camundongo criado em laboratório japonês canta como passarinho”. (1,0)
Quem?: A universidade de OsaKa
O quê?: um camundongo geneticamente modificado que canta feito um passarinho
Onde? No Japão

2.-No lide da matéria referida, o repórter não incluiu resposta à pergunta “como?”. (1,0)

a) Em quais parágrafos do corpo do texto se explica o método utilizado pelos pesquisadores?
No terceiro parágrafo. Buscavam um tipo físico diferente e foram surpreendidos por outro resultado.
 “Um dia, encontramos um deles que cantava feito uma ave”, comentou. “Fiquei surpreso porque estava esperando um camundongo com um tipo físico diferente”, disse.

b) Reescreva o lide do texto, acrescentando, na mesma frase, a resposta à pergunta “como”?
A Universidade de Osaka, no Japão, foi surpreendida pelo resultado inesperado de um pesquisa de modificação genética. O fato raro foi divulgado nesta terça, com a foto de um camundongo geneticamente modificado que canta feito um passarinho.

3.-Qual é o elemento fundamental para a funcionalidade do texto jornalístico? (1,0)
O LIDE
4.- Quais são as características da linguagem de um jornal? (1,0)
Linguagem: clara, direta, concisa, com um tom de objetividade e distanciamento.
5.- Ligue as letra às respectivas definições, postas ao lado. (1,0)                  
a) Lide, cabeça, ou abertura
( E ) apresenta diretamente o assunto central da matéria.
b) Desenvolvimento ou corpo
( D ) (1 a 2 linhas)explica melhor o assunto, complementando o título com detalhes importantes.
c) Olho (2 a 3 linhas)
(  C ) no início do texto, tem a mesma função do subtítulo, porém é mais longo.
d) Subtítulo
(  A ) parágrafo (ou parágrafos) de abertura do texto.
e) Título
( B  ) redigido de preferência em parágrafos curtos, que retomam e desdobram as informações apresentadas no lide
f) Intertítulo
(F) palavra ou frase curta inserida entre parágrafos, geralmente destacada do corpo da matéria. Dá maior leveza a textos longos, dividindo-os em blocos menores.

6.-Qual a função do Editor de um jornal: (1,0)
É responsável pelo planejamento e comando da execução do jornal ou de uma seção.

7.- Publicada em jornais e revistas, e é um gênero intermediário, com características literárias
e jornalísticas: (1,0)

a) conto
b) público-alvo
c) crônica
d) jornalismo

8) “A criança cai do quarto andar de um edifício e sobrevive”, essa frase poderia ser uma manchete de jornal, narra um determinado acontecimento, ocorrido com uma criança específica. Nessa afirmação podemos dizer que o fato e a pessoa: (1,0)
a) são populares
b) apresenta sigilo
c) são singulares
d) particular
9.- “Cientistas japoneses disseram que a criação de um animal como esse representa uma evolução. Eles esperam que a descoberta indique caminhos para compreender as origens da fala humana.” Marque a resposta que indica a característica apresentada no parágrafo, analisando-o isoladamente: (1,0)

a) notícia de jornal    b)    Literatura, arte      c)  texto teórico-expositivo

10.- Crie o seu próprio texto com um parágrafo, incluindo um assunto entre a informação e ficção, contendo respostas às perguntas Quem?, O quê?, Onde?. E use de (3) três a (5) linhas para escrevê-lo. (1,0)  
 L I V R E



quarta-feira, 21 de agosto de 2013

Louvores aos últimos sinceros.





Um dia preocupado olhei para o mundo...
Com lágrimas o olhar triste e profundo.
Meditando cabisbaixo sobre os sinceros,
Deslealmente deprimidos pelos impuros;
Habita a impureza junto com os estúpidos.

O mundo desigual: a raça e os sentimentos.
O mundo desigual para bons e para os éticos.
A lei covarde bate e defende os tubarões.
Os acordos de juízes, levam os pobres a leilões,
Assim, ganha o hipócrita, ganha a corrupção;
Chora a viúva, os órfão, e morre o ancião.

O sincero continua a ser crucificado
Ao modelo do Mestre ressuscitado.
Na sociedade brasileira vence o corrupto!
A nossa bandeira está rasgada e de luto!
Os comandantes fizeram aliança salarial...
Eles não se importam com a ordem social!

Saudade dos hinos nacional e da bandeira
Cantados com orgulho na escola inteira!
Direção, coordenação e todos os professores
Mostravam a ética na prática, os educadores.
Quem salvará o sincero homem patriota?
Quem retirará as manchas e o título de idiota?  

Ninguém. Não temos juízes, não temos legislativos,
Não temos Executivo, não temos generais, nem amigos.
Não temos policiais, não temos nada. Temos esperança...
E não pequena. Atentos vemos na multidão uma aliança,
A aliança dos considerados vencidos e dos militares unidos
Pelo laço da irmandade, sua nação, sua mãe, o amor nascido.