terça-feira, 12 de fevereiro de 2013

3.3 LÌNGUA PORTUGUESA - CRASE (continuação das proibições)





USO PROIBIDO DA CRASE
NÃO SE USA O ACENTO DA CRASE NO “A” QUE PRECEDE...

1- PALAVRAS MASCULINAS:

Pinto o quadro a óleo.
Veio a pé e voltou a cavalo.
Observação:
Ocorrendo a elipse das palavras “moda”, “maneira” ou “estilo”, haverá crase diante de masculinos. Exemplos: Usarei sapatos  à Luís XV e cabelo à Caetano Veloso.
2- VERBOS NO INFINITIVO:
Estou disposto a colaborar.
Estava a assobiar e a chupar cana.

3- PRONOMES PESSOAIS:
RETOS:
OBLÍQUOS:
DE TRATAMENTO:
Dirigi-me a ela.
Dirigiram-se a mim.
Dirigiu-se a Vossa Senhora.
Observação:
Há pronomes de tratamento (senhora, senhorita, dona, madame) que aceitam o artigo e, obviamente, a crase.
4- A SEGUNDA PALAVRA DAS LOCUÇÕES FORMADAS COM REPETIÇÃO DE PALAVRAS:
Estavam frente a frente.
Dia-a-dia, o número de alunos aumentava.
5- CERTOS PRONOMES INDEFINIDOS COMO “ALGUMA”, “ALGUÉM”, “NENHUMA”, “CERTA”, “NADA”, “QUALQUER”, “TODA”:
Não escrevia a ninguém e não dava valor a nada.
6- OS DEMONSTRATIVOS “ESTA” e “ESSA”: Cheguei a esta conclusão.
7- PALAVRAS FEMININAS NO PLURAL: Não vou a festas.
Observação:
Neste caso, se o “A” também estiver no plural, deverá existir o acento indicador da crase.
Exemplo: Não Foi às festas.
8- ARTIGOS INDEFINIDOS: Referia-me a uma aluna loira.