sexta-feira, 15 de fevereiro de 2013

LÍNGUA PORTUGUESA - CRASE (Continuação das proibições e exceções)




USO FACULTATIVO DA CRASE
Pode-se usar (ou não) o acento indicador da crase, indiferentemente, no “A” que procede:
1- nome próprio feminino de pessoa:
Entreguei o livro a (ou à) Maria.
Escrevi a (ou à) Marlene.
Observação:
A crase será de rigor quando o nome vier modificado por um adjunto ou quando estiver claro que a pessoa faz parte de nosso círculo de amizades.
Exemplos:
Refiro-me à Júlia, mãe do Sérgio Carlos.
Dedico este livro à Leila, minha esposa.
2- pronomes possessivos femininos (minha, tua, sua, nossa, vossa):
Referiu-se a (ou à) minha viagem.
Dei isto a (ou à) tua namorada.
Observação:
a crase será de rigor quando o “A” anteceder pronome possessivo substantivo.
Exemplo:
Refiro-me     à   minha camisa e não    à     sua.



3- palavra feminina antecedida de ATÉ:
Vou até a (ou à) praia.
Fui até a (ou à) feira de artesanato.

R E S U M O


Verbo Haver
bons livros de redação.
Tempo passado
Não o vejo anos.
Substituível por FAZ
anos não o vejo.


A

Tempo futuro
Daqui a pouco estarei aqui.
Artigo
A caneta é preta.
Preposição
Entreguei o livro a João.
Pronome pessoal
Minha mão, eu a amo.