quarta-feira, 13 de fevereiro de 2013

3.4 LÍNGUA PORTUGUESA - CRASE (continuação das proibições e exceções)






A CRASE E “A CASA”

NÃO HAVERÁ CRASE  se a “casa” não estiver especificada.
Exemplos:
Voltei a casa muito cedo.
O patrão foi a casa almoçar.
HAVERÁ CRASE  se a “casa” estiver especificada.
Exemplos:
Voltei à casa de Maria.
Fui à casa de meus pais.
Dirigia-me à Casa Dez Irmãos.

A CRASE E A “TERRA”

NÃO HAVERÁ CRASE se “terra” estiver em oposição a “bordo”.
Exemplos:
Após muito navegar, dirigiram-se a terra.
Os marinheiros foram atacados, mal desceram a terra.
HAVERÁ CRASE em qualquer outro sentido em que a palavra “terra” aparecer.
Exemplos:
O corpo do pobre mendigo desceu à terra.
Voltarei, em breve, à terra natal.


A CRASE E OS NOMES DE LUGARES    

1-NÃO HAVERÁ CRASE  se o topônimo (o nome do lugar) não aceitar artigo.
Exemplo: iremos a Piraquara, a Ponta Grossa e a Londrina.
2- HAVERÁ CRASE:
a)      se o topônimo admitir o artigo. Exemplos:
Iremos à Argentina.
Fomos à Bahia.
b)      se o topônimo estiver modificado por adjetivo ou locução adjetiva.
Exemplos:
Julião foi à Piraquara de seus sonhos.
Referiu-se à Roma dos Césares.

3- É FACULTATIVO o acento indicativo da crase diante destes sete nomes FRANÇA, INGLATERRA, ESPANHA, HOLANDA, EUROPA, ÁFRICA e ÁSIA.
Exemplos:
Fomos a Europa. Irei a Inglaterra.
Fomos à Europa. Irei à Inglaterra.

4- E MUITO CUIDADO! Não haverá crase, em nenhuma hipótese, se inexistir a preposição.
Exemplos:
                      Visitarei    a    Europa.
Visitou        a                Bahia.

(simples artigos)