DICIONÁRIO AULETE

iDcionário Aulete

quinta-feira, 28 de fevereiro de 2013

Espíritos Inertes






Parados diante do momento da catástrofe
Vivem assistindo a este filme proibido,
Onde a grande maioria não vê que apodrece
Com as chagas da alma que lhes aumentam a libido.

Surge o sexo feroz, sádico e masoquista
Com cenas de orgasmos cinematográficos
Este é o prazer que destrói até o  psicanalista.
Não, não há remédio para evolução do paradoxo.

O prazer louco em busca do inimaginável
Ignora na humanidade o amor e cega o  seu espírito.
A catástrofe apresenta um perfil muito  variável
Dentro de uma sociedade cheia  de sexos violentos.

Quem poderia imaginar o amor na catástrofe?
O produto mais desejado do amor é vituperado
Na busca sadomasoquista  que esta zona limítrofe,
Que ofusca o amor e exalta o corpo humilhado.

Como podem ficar parados diante do leito
Ornamentado de seda e linho e pétalas espalhadas
Com seus perfumes pela casa a começar do quarto
O sentir as marcas do prazer ecoando até sacada.

Para que o mundo acorde para o amor verdadeiro
E veja ali no leito de amor o começo de todas as catástrofes.
Então perceba que o beijo aquecedor não é só o primeiro;
Ele tem que ser sempre e levar todos a vencerem os limites.

sexta-feira, 22 de fevereiro de 2013

Não há dúvida na cópula plena




Na verdade tudo começa bem pra gente
Principalmente desde a vida uterina,
Quando sentimos a mãe alegre e ofegante
Ignorando as intrigas a barriga empina.

Mas a vida é um mar sem previsão,
Onde quase toda notícia é ruim.
A perspectiva da sociedade é desilusão.
Mas fala o coração: a felicidade é pra mim.

A vida é plena se tudo for feito por amor,
Não há prazer se você for gerado por paixão.
Pois tem que ter tempero, para a vida ter sabor.
Tenha beijos, uma longa cópula, mas plena emoção.

Tem que nascer pelo amor para gerar mais amor.
A plenitude do amor não deixa dúvidas!
Ela é completa e rica em carícias e suave ardor...
Assim faz fechar as feridas das lutas vividas.

Pelo amor todo o corpo é mapeado e explorado,
Suavemente, palmo a palmo e vem o pleno prazer;
Ela sabe o que fazer e ele a olha controlado e apaixonado.
Mas a paixão foi domada pelo amor e o fez enternecer.

A canção está no brilho do olhar em lindas notícias
A cerca da vitória confirmada em seu útero;
Declamada pelo cuidado do amado em carícias
Faz o mundo ver a magia do amor puro e verdadeiro.

Não há erotismo nem estímulo, pro amor que concerta
O tema VIDA, em ritmo divino, e traz a paz e a esperança.
Com o amor não há culpa, não há dúvida, só existe festa.
Do amor e da vida nasce um lar feliz e todas as suas crianças.


quarta-feira, 20 de fevereiro de 2013

MARA LIMA_CD COMPLETO_Melhores Momentos Vol. 4_Canal 100% EVANGÉLICO

Gayzismo e Fascismo

Educação e Método Sócio-Construtivista

(05) Método sintético, deterioração da língua e a arbitrariedade da gram...

Nova Reforma Ortográfica Brasileira

Documentário - Preconceito Linguístico



A redação (teoria)

Produção de texto: como ensinar os alunos a escrever de verdade
Para produzir textos de qualidade, seus alunos têm de saber o que querem dizer, para quem escrevem e qual é o gênero que melhor exprime essas ideias. A chave é ler muito e revisar continuamente
Narração, descrição e dissertação. Por muito tempo, esses três tipos de texto reinaram absolutos nas propostas de escrita. Consenso entre professores, essa maneira de ensinar a escrever foi uma das principais responsáveis pela falta de proficiência entre nossos estudantes. O trabalho baseado nas famosas composições e redações escolares tem uma fragilidade essencial: ele não garante o conhecimento necessário para produzir os textos que os alunos terão de escrever ao longo da vida. "Nessa abordagem, ninguém  considerava quem seriam os leitores. Não havia a reflexão sobre a melhor estratégia para colocar uma ideia no papel", resume Telma Ferraz Leal, da Universidade Federal de Pernambuco. http://revistaescola.abril.com.br/lingua-portuguesa/

VÍCIOS DE LINGUAGEM

Lendo – e relendo – a redação, temos condições de corrigir uma série de vícios de linguagem. Eis os principais vícios a serem evitados:

1- AMBIGUIDADE ou ANFIBOLOGIA – frase com duplo sentido.
Exemplo:        Peguei o ônibus correndo.
Dúvida:           quem corria, o “ônibus” ou “eu”?

Vejamos duas possibilidades de reescrita da frase:
·         Peguei o ônibus que corria. (= o ônibus corria)
·         Correndo, peguei o ônibus. (=eu corria)

2- PLEONASMO VICIOSO – presença de palavras redundantes na frase.
Exemplo I:       O Diretor deferiu favoravelmente o requerimento.
Correção:        O Diretor deferiu o requerimento.

Exemplo II:      Ao subir para cima do morro, avistou o vilarejo.
Correção:         Ao subir o morro, avistou o vilarejo.

3- CACOFONIA ou CACÓFATO – formação de palavras de sentido ridículo, decorrente da sequência de vocábulos na frase.
Exemplo I:        Eu vou-me já (=”mijá”) para casa.
Correção:          Eu vou para casa.

Exemplo II:       O nosso hino (=“suíno”) é belíssimo.
Correção:          O hino nacional é belíssimo.

4- ECO – ocorrência de palavras com a mesma terminação. É a rima sem um propósito estilístico.
Exemplo:         Neste momento tive um aumento no vencimento.
Correção:         A partir deste instante tive um aumento salarial.

5- COLISÃO – sucessão desagradável de sons consonantais.
Exemplo:         O Jaime viaja já  ou em janeiro?
Correção:         O Jaime viajará imediatamente ou apenas no mês de janeiro?

6- HIATO – sucessão desagradável de sons vocálicos.
Exemplo:          Ênio vai à aula hoje à tarde?
Correção:         Ênio irá, hoje à tarde, à aula?

7- SOLECISMO – erro de sintaxe.
Concordância
Exemplo:    Basta três moedinhas para fazê-lo saltitar.
Correção:   Bastam três moedinhas para fazê-lo saltitar.
Regência
Exemplo:    Ivan aspira o cargo de presidente.
Correção:   Ivan aspira ao cargo de presidente.
Colocação
Exemplo:    Discutirão-se muitos projetos.
Correção:   Discutir-se-ão muitos projetos.

8- BARBARISMO – palavra errada quanto à pronúncia ou grafia. (O erro de acentuação tônica chama-se silabada; o erro de grafia chama-se cacografia.)
Exemplos:
fiLÂNtropo, em vez de filanTROpo.
miXto, em vez de miSto.
Deteram, em vez de detiveram.

Além desses, devem-se evitar gírias, estrangeirismos desnecessários e frases obscuras ou prolixas.

sexta-feira, 15 de fevereiro de 2013

LÍNGUA PORTUGUESA - CRASE (Continuação das proibições e exceções)




USO FACULTATIVO DA CRASE
Pode-se usar (ou não) o acento indicador da crase, indiferentemente, no “A” que procede:
1- nome próprio feminino de pessoa:
Entreguei o livro a (ou à) Maria.
Escrevi a (ou à) Marlene.
Observação:
A crase será de rigor quando o nome vier modificado por um adjunto ou quando estiver claro que a pessoa faz parte de nosso círculo de amizades.
Exemplos:
Refiro-me à Júlia, mãe do Sérgio Carlos.
Dedico este livro à Leila, minha esposa.
2- pronomes possessivos femininos (minha, tua, sua, nossa, vossa):
Referiu-se a (ou à) minha viagem.
Dei isto a (ou à) tua namorada.
Observação:
a crase será de rigor quando o “A” anteceder pronome possessivo substantivo.
Exemplo:
Refiro-me     à   minha camisa e não    à     sua.



3- palavra feminina antecedida de ATÉ:
Vou até a (ou à) praia.
Fui até a (ou à) feira de artesanato.

R E S U M O


Verbo Haver
bons livros de redação.
Tempo passado
Não o vejo anos.
Substituível por FAZ
anos não o vejo.


A

Tempo futuro
Daqui a pouco estarei aqui.
Artigo
A caneta é preta.
Preposição
Entreguei o livro a João.
Pronome pessoal
Minha mão, eu a amo.

Mattos Nascimento Ao Vivo Filho Pródigo

FERNANDA BRUM-ESPÍRITO SANTO

Jô Soares entrevista senadora Marina Silva - Parte 1 de 5.flv

quarta-feira, 13 de fevereiro de 2013

3.4 LÍNGUA PORTUGUESA - CRASE (continuação das proibições e exceções)






A CRASE E “A CASA”

NÃO HAVERÁ CRASE  se a “casa” não estiver especificada.
Exemplos:
Voltei a casa muito cedo.
O patrão foi a casa almoçar.
HAVERÁ CRASE  se a “casa” estiver especificada.
Exemplos:
Voltei à casa de Maria.
Fui à casa de meus pais.
Dirigia-me à Casa Dez Irmãos.

A CRASE E A “TERRA”

NÃO HAVERÁ CRASE se “terra” estiver em oposição a “bordo”.
Exemplos:
Após muito navegar, dirigiram-se a terra.
Os marinheiros foram atacados, mal desceram a terra.
HAVERÁ CRASE em qualquer outro sentido em que a palavra “terra” aparecer.
Exemplos:
O corpo do pobre mendigo desceu à terra.
Voltarei, em breve, à terra natal.


A CRASE E OS NOMES DE LUGARES    

1-NÃO HAVERÁ CRASE  se o topônimo (o nome do lugar) não aceitar artigo.
Exemplo: iremos a Piraquara, a Ponta Grossa e a Londrina.
2- HAVERÁ CRASE:
a)      se o topônimo admitir o artigo. Exemplos:
Iremos à Argentina.
Fomos à Bahia.
b)      se o topônimo estiver modificado por adjetivo ou locução adjetiva.
Exemplos:
Julião foi à Piraquara de seus sonhos.
Referiu-se à Roma dos Césares.

3- É FACULTATIVO o acento indicativo da crase diante destes sete nomes FRANÇA, INGLATERRA, ESPANHA, HOLANDA, EUROPA, ÁFRICA e ÁSIA.
Exemplos:
Fomos a Europa. Irei a Inglaterra.
Fomos à Europa. Irei à Inglaterra.

4- E MUITO CUIDADO! Não haverá crase, em nenhuma hipótese, se inexistir a preposição.
Exemplos:
                      Visitarei    a    Europa.
Visitou        a                Bahia.

(simples artigos)


terça-feira, 12 de fevereiro de 2013

3.3 LÌNGUA PORTUGUESA - CRASE (continuação das proibições)





USO PROIBIDO DA CRASE
NÃO SE USA O ACENTO DA CRASE NO “A” QUE PRECEDE...

1- PALAVRAS MASCULINAS:

Pinto o quadro a óleo.
Veio a pé e voltou a cavalo.
Observação:
Ocorrendo a elipse das palavras “moda”, “maneira” ou “estilo”, haverá crase diante de masculinos. Exemplos: Usarei sapatos  à Luís XV e cabelo à Caetano Veloso.
2- VERBOS NO INFINITIVO:
Estou disposto a colaborar.
Estava a assobiar e a chupar cana.

3- PRONOMES PESSOAIS:
RETOS:
OBLÍQUOS:
DE TRATAMENTO:
Dirigi-me a ela.
Dirigiram-se a mim.
Dirigiu-se a Vossa Senhora.
Observação:
Há pronomes de tratamento (senhora, senhorita, dona, madame) que aceitam o artigo e, obviamente, a crase.
4- A SEGUNDA PALAVRA DAS LOCUÇÕES FORMADAS COM REPETIÇÃO DE PALAVRAS:
Estavam frente a frente.
Dia-a-dia, o número de alunos aumentava.
5- CERTOS PRONOMES INDEFINIDOS COMO “ALGUMA”, “ALGUÉM”, “NENHUMA”, “CERTA”, “NADA”, “QUALQUER”, “TODA”:
Não escrevia a ninguém e não dava valor a nada.
6- OS DEMONSTRATIVOS “ESTA” e “ESSA”: Cheguei a esta conclusão.
7- PALAVRAS FEMININAS NO PLURAL: Não vou a festas.
Observação:
Neste caso, se o “A” também estiver no plural, deverá existir o acento indicador da crase.
Exemplo: Não Foi às festas.
8- ARTIGOS INDEFINIDOS: Referia-me a uma aluna loira.


3.2 LÍNGUA PORTUGUESA - A CRASE E O PRONOME RELATIVO





1.      É PROIBIDA A CRASE NO “A” que antecede CUJO(s), CUJA(s), QUEM, QUANTO.

Exemplos:

Esta é a moça a quem amo.
Eis o escritor a cuja obra me refiro.

2.      Em geral, não ocorre crase antes do “QUE”. Em caso de elipse de palavra feminina, entretanto, a crase é obrigatória.

Exemplo:
Esta é a secretária competente, e não à (*) Que me referi ontem.
                                                               (secretária)

Observação:

(*) No último exemplo, a crase é contração do pronome demonstrativo “a” com a preposição “a” exigida pela forma verbal “referi”.

3. Haverá crase em “A QUAL”, “AS QUAIS” quando, substituído o antecedente por um masculino, forem substituíveis por “AO QUAL”, “AOS QUAIS”.

Exemplo:
Eis a jovem à qual me referi ontem.
Eis o jovem ao qual me referi ontem.



sexta-feira, 8 de fevereiro de 2013

Aline Barros de frente com Gabi

Aline Barros fala de sua vida de sucesso buscando atribuir toda a honra a Deus, mostra para a Gabi a visão família do evangélico levando o mundo a conhecê-la e saber quem é o Senhor Jeová, um estilo aos modelo encontrado no Livro de I Reis 18 (Elias um homem comum falando aos reis e defendendo o Reino do Deus de Israel. Assistam a entrevista vai ser muito bom conhecer os nossos irmãos que ganharam de Deus o direito de brilhar:

Sexo ( hetero x homo)


As escolhas sexuais dos homens os levam a uma situação de estado confuso;  revela instabilidade emocional e perturbação social e espiritual. Deus sempre se preocupou com o homem e por isso o instruiu sobre o uso de seu corpo, a fim de que saiba por em prática suas glândulas responsáveis pela atividade sexual com registro no Livro de Levítico (manual dos sacerdotes), entre outros. Todo desejo do homem é inteiramente natural quando busca ou fica excitado por uma mulher, a forma feita por Deus no início da criação de tudo. Vejamos uma nota que podemos encontrar em qualquer livro publicado por especialista em sexologia e  psiquiatria: 


Testosterona: libido e agressividade(http://pt.wikipedia.org/wiki/Wikipédia)

Altas taxas de testosterona tendem a aumentar o comportamento agressivo. Além disso, estudos feitos por Richard Udry com adolescentes mostraram que um alto nível do hormônio aumenta a predisposição a ter relações sexuais. O mesmo acontece com adultos. Só que entre esses, o maior nível de testosterona costuma acarretar problemas no casamento. James Dabbs e Alan Booth analisaram as relações amorosas de 4.462 militares entre 30 e 40 anos e perceberam que os homens com testosterona alta eram menos propensos a se casar e se divorciavam mais facilmente. Além disso, os homens com níveis mais elevados de testosterona tinham o dobro de chances de ter relações extraconjugais do que os que apresentavam níveis mais baixos.
Já num estudo da Faculdade de Medicina de Yale, cientistas observaram que altos níveis testosterona, ainda que por períodos curtos de seis a doze horas, causaram morte em culturas de neurônios.[2]
A testosterona também é responsável pelo maior desenvolvimento da massa muscular nos homens, em relação às mulheres. 

Esta é a razão de tanto passo errado na vida social, sexual e culminando em males psiquiátricos. Assim jovens se entregam a luxúria e a incontinência sexual sendo  levados a uma vida de prostituição e a evasão das escolas ainda no período do Ensino Fundamental. Vamos analisar o extrato de um texto 

SEXUALIDADE DOS SOLTEIROS

Postado por 


Você já deve ter ouvido que entre homem e mulher acontece uma atração química, e se essa reação não ocorre, não são feitos um para o outro.

Essa química ocorre pelo mecanismo dos sentidos, que enviando estímulos visuais, de sons, toque, paladar ou olfativos, estimulam as áreas do cérebro responsáveis por essas ações através de pulsos elétricos; essa eletricidade percorre os neurônios no cérebro ativando outras estruturas, como o hipotálamo que é responsável por muitas ações de comportamento sexual. 

No hipotálamo substâncias, chamadas de fatores de liberação e inibição irão estimular outras estruturas, como a hipófise, uma das principais glândulas responsáveis pelo comportamento humano; nesta glândula hormônios e pré-hormônios são liberados para reger os sentimentos.

Esse é o caminho daquilo que assimilamos através dos sentidos, seja para o sexo oposto ou para milhares de atividades durante o dia.

No caso da atração sexual, a química de homem e mulher, ainda passa por estruturas de seus órgãos sexuais, testículos e ovários, para produzirem o estradiol na mulher e a testosterona no homem.
Esses dois hormônios têm flutuação em sua produção devido a fatores psicológicos, comportamentais e ambientais.

A testosterona é o hormônio do desejo sexual no homem e o estradiol atua na libido da mulher. 

(http://palestrante.blogspot.com.br/2009/02/sexualidade-dos-solteiros.html)


Entretanto, a corrupção moral começou primeiro na vida do homem e buscou invenções como está bem explicado nos livros bíblicos. A sociedade criou conceitos ao estilo da Grécia antiga para responder suas fraquezas físicas, espirituais e sexuais. Dentro da linguística evoluiu com adoção de novas palavras e até criou palavras para explicar o inexplicável, pontos confusos na sua definição que só notaremos se fizermos um estudo detalhado de todas as argumentações feitas durante e depois da criação do neologismo e qual foi fundamentação para criar uma palavra com tantos campos de entendimento.  Nestes estudos feitos por eles a RAÇA NEGRA É MENCIONADA de forma comparativa com a situação sexual daqueles que assim resolveram mudar suas vidas a partir de um princípio desconhecido por todos nós, porém respeitado no seu direito de escolha. O afro-brasileiro não merece esse tipo de comparação e sim o reconhecimento de uma luta de igualdade social travada antes mesmo do descobrimento do Brasil. Quantos negros são oficiais generais, ou ator principal, ou trabalhando em comercial de beleza estética. Leiam o texto abaixo extraído da http://pt.wikipedia.org/, também assistam ao  vídeo postado.
Homofobia (homo, pseudoprefixo de homossexual[1], fobia do grego φόβος "medo", "aversão irreprimível"[2]) é uma série de atitudes e sentimentos negativos em relação a lésbicasgaysbissexuais e, em alguns casos, contra transgêneros e pessoas intersexuais. As definições referem-se variavelmente a antipatiadesprezopreconceito, aversão e medo irracional.[3][4][5] A homofobia é observada como um comportamento crítico e hostil, assim como a discriminação[3][4] e a violência com base em uma percepção de orientação não heterossexual. Em um discurso de 1998, a autora, ativista e líder dos direitos civis, Coretta Scott King, declarou: "A homofobia é como o racismo, o anti-semitismo e outras formas de intolerância na medida em que procura desumanizar um grande grupo de pessoas, negar a sua humanidadedignidade e personalidade."[6] Em 1991, a Anistia Internacional passou a considerar a discriminação contra homossexuais uma violação aos direitos humanos.[7]
Entre as formas mais discutidas estão a homofobia institucionalizada (por exemplo, patrocinada por religiões[8] ou pelo Estado[9]), a lesbofobia, a homofobia como uma intersecção entre homofobia e sexismo contra as lésbicas, e a homofobia internalizada, uma forma de homofobia entre as pessoas que experimentam atração pelo mesmo sexo, independentemente de se identificarem como LGBT.
"[...] Em última análise, a homofobia e a transfobia não são diferentes do sexismo, da misoginia, do racismo ou da xenofobia. Mas enquanto essas últimas formas de preconceito são universalmente condenadas pelos governos, a homofobia e a transfobia são muitas vezes negligenciadas. A história nos mostra o terrível preço humano da discriminação e do preconceito. Ninguém tem o direito de tratar um grupo de pessoas como sendo de menor valor, menos merecedores ou menos dignos de respeito. [...]"[10]   
As palavras são bonitas mas a intenção delas é conduzir a sociedade para a sua própria extinção.