quinta-feira, 31 de janeiro de 2013

4.6 LÍNGUA PORTUGUESA (Regência Verbal)





REGÊNCIA VERBAL

Temos um pouco mais a aprender.
ESQUECER E LEMBRAR

Compare:
                           
Eu esqueci o dinheiro.
                        OD
Eu ME esqueci do dinheiro.
                              OI

Eu lembro o fato.
                    OD
Eu ME lembro do fato.
                           OI


A que conclusão se pode chegar? Se não houver pronome, não haverá preposição e são transitivos diretos; se houver pronome, também haverá preposição e passam a ser transitivos indiretos. Outros exemplos:
Eu
Eu esqueci a fórmula.
Eu me esqueci da fórmula.

Tu lembras o acontecido?
Tu te lembras do acontecido?

A fórmula que ele esqueceu era útil.
A fórmula de que ele se esqueceu era útil.


Observação:

ESQUECER e LEMBRAR no sentido de “cair na lembrança” ou “apagar-se da memória” são transitivos indiretos:

Esqueceu-me a sorte.
                  OI       SUJ.
Lembram-me os compromissos.
                 OI                         SUJ.

PROCEDER
Pode ser:
a)      INTRANSITIVO no sentido de “portar-se, “agir”:
Ela procedeu honestamente.
                                         A.A MODO

b)      INTRANSITIVO no sentido de “provir”:
A Língua Portuguesa procede do latim.
                                                      A.A LUGAR (= ORIGEM)

c)       INTRANSITIVO no sentido de “ter fundamento”:
Esse argumento não procede.

d)      TRANSITIVO INDIRETO (com preposição “A”) no sentido de “realizar”, “dar início a”:

A firma procedeu ao sorteio do carro.
                                          OI
O Secretário procedeu à leitura da ata.
                                              OI