sábado, 18 de agosto de 2012

A luz da existência




Não fales que tem poder,
Nem digas ser capaz de tudo fazer.
Há um abismo imperceptível,
Há uma luz forte
Naturalmente inalcançável.
Há uma densa treva,
Que de perto te tira a paz.  
Busque os olhos,
Busque o sorriso,
Analise os gestos,
E veja o que é  preciso.
Se dizes ser verdadeiro,
A entrega é por inteiro
E se falta aquela vírgula
Então é obvio a mentira.
A sinceridade não se declara;
Ela está ali e aqui às claras.
O humilde não se auto proclama;
Ele é reconhecido por sua fama.
O grito do manso assusta o mundo
E com a paz salva-os do absurdo.  
A esperança se desvanece
Quando o justo enlouquece.
O governo finge proteger
Enquanto arranca o direito de viver.
Nada é nada mesmo diante do ínfimo,
Tudo é o nada para quem vive no mínimo,
Então diante do vazio temos as lágrimas,
E assim se lava a alma de vidas fragmentadas.
O involuntário infortúnio nasce de repente
Na vida de pessoas religiosamente descentes,
Esta é a prova da verdade de sermos de Deus protegidos.
Assim, vivamos a aprender como ser eternos discípulos.