quarta-feira, 18 de julho de 2012

O ÚNICO QUE ENTENDE A MULHER




A mulher se prende entre as suas emoções
Louca e ardente, beija e abraça, é a aventura,
E o fato de ser judia não impedia as paixões,
Que vinham e dominava-lhe por inteira...

Aquele homem não era o primeiro,
Na verdade e qual seria a sua verdade?
Uma vez que ela não sabia dominar seu corpo!
Mais outro e era mais um despertar da sexualidade.

Nas sombras da noite, num céu estrelado,
Um beijo, um louco entrelaçar e uma fala romântica
E era mais um homem casado e sempre muito religioso:
Saduceu, fariseu, escriba ou homem qualquer da nobreza.

Muito romântica e aventureira, uma linda pecadora,
Porém livre da obrigações da nobreza vivia feliz...
O pecado é assim,  às vezes o mantém  sem culpas,
Quando o que cerca o pecador são apenas leis.

Todavia, não sabia ela, que seria um grande exemplo
E que a sociedade lembrar-se-ia dela nas sinagogas.
Pois um dia, em Jerusalém, ela foi pega por um grupo
Composto de religiosos radicais, para servir de prova

Contra  Jesus Cristo, dizendo não ser cumpridor das leis
E tentaram-no o surpreender quando ensinava às pessoas,
A margem da praia, de cima de um barco, de onde falava-lhes
Sobre o Reino de Deus; buscando dar-lhes a vida eterna.

Os lideres religiosos, cegos de inveja, tentaram ao Senhor:
Mestre, a lei manda matar a adúltera! Que faremos agora?
O Senhor sabendo do coração do homem, disse-lhos:
Quem dentre vós, que não tem pecado? Atire a sua pedra...

Um relatório escreveu na areia da praia, diante de todos
E atentos liam, linha por linha, e suas feridas foram expostas.
Cada um tinha um ato ilegal, mentiras e lucros inadequados.
Bem provável, que um ou outro, tenha a conhecida às escondidas.

Talvez, ali no meio, um dos amores secretos, ainda a amava...
Mas seguindo aos fariseus e aos escribas era obrigado ao falso ódio.
Aquela prostituta, ou adúltera, uma classificação bem maliciosa,
Que foi feita sem observar atentamente o livro de Levítico.

Assombrados, um por um, largavam suas pedras, envergonhados.
Assim foram embora, deixando aquela mulher para condenação.
JESUS olhando para ela, paternalmente, disse-lhe: ” EU não te condeno,
Vai embora e não pratiques mais o pecado.” Ame com o coração.

Nas igrejas ensinam o perdão e a remissão do pecado e a justiça,
Lembrando-se daquela mulher que a Lei não lhe deu o caminho,
Nem a libertou de suas paixões, mesmo sendo a Lei Santa
Não pode parar a fúria dos acusadores, mostrando um falso zelo.

Entretanto, aquela mulher merecia ter um encontro com o amor,
Pois procurou a vida toda, nos braços de pecadores, sendo enganada.
Mas existe esperança, para o náufrago e direção certa no deserto,
Ao ter a chance de um encontro com o DONO DE TODA JUSTIÇA.