sexta-feira, 6 de julho de 2012

O poder da mulher estranha



Cuidado!!! A paixão se aproxima!
Vem devagar e cheia de lisonjas,
Mantém-se cada vez mais frequente;
Ela vem de manhã cedo com sorrisos
Saudando-te com um lindo bom dia...
Puxa a cadeira, o mais próximo possível
E cruza as pernas fingindo inocência...
Afinal é só uma amizade profissional...
Doce dúvida, pronto! Agora se aproxima...
Mais e mais, até o rosto ficar bem coladinho
E o perfume entre em seu cérebro e esquece,
Por alguns minutos, aquela que dedica carinho.
A teia está sendo tecida maestrosamente
Como aquele homem fugirá desta armadilha?
O dia “D”, a porta foi fechada e a rotina foi mudada,
Nada foi por acaso, trabalhou a esperta sedutora...
Deixou o ambiente o mais normal possível.
Quando a esposa liga, ela atende. Agora são amigas...
O pobre não imagina que todo o seu corpo
Está sobe controle de uma nova regência.
Dias se passaram até chegar aquele saboroso dia...
Mas, ele ama verdadeiramente a sua mulher!!!
Entretanto,  aquela colega de trabalho tem atributos!
Uma anatomia voluptuosamente  invejável, uma “modelo”...
Um rosto esculpido por Deus, para ser a mais linda das deusas,
Que resolveu ser uma saborosa guloseima e terrível predadora.
Agora, lentamente,  o momento está chegado...
Ele acreditou demais na sua fé e na sua própria força,
Que vinha do enorme amor que sentia pela sua amada.
Na sua fé em Deus bem construída e fundamentada,
Com formação teológica e constante oração.
Mas, quem pode desvendar o segredo do coração?
Ali, junto aquela mesa, despacha os seus documentos.
Não percebe que o seu coração bate diferente...
Que seu sangue está pulsando mais e mais quente...
Lentamente ela se aproxima. Dessa vez armada para matar...
Com alguns papeis  nas mãos,  pedi-lhe orientações.
Ao aproximar-se, seu perfume deixa-o sem sentido, o que é isso???
Pergunta-se, mas já sentindo a força dos seus cabeços macios,
Cheirosos, bonitos e longos a cair sutilmente sobre ele,
O maravilhoso  rosto vai se chegando, mais perto, até chegar...
Tecnicamente à orelha dele é violada, com um leve roçar...
Feito com os lábios sensuais e ingênuos, tocando alternadamente,
Como se fosse um ato provocado pelo balanço de um navio.
Então como um peixe tenta fugir do anzol, assim ele luta;
Como um pássaro, inutilmente,  se debatendo no passarinheiro,
Assim tenta aquele  pobre homem que foi fiel cristão e bom marido.
Agora ela fixa os olhos dentro dos olhos dele!
Pronto, hipnotizou a vítima! O cérebro já não trabalha!
A razão foi-se e o instinto animal tomou conta da batalha...
Ao acordar deste sonho, restou-lhe o  pesadelo, está deitado
Em uma cama improvisada  por ela que fez o seu poder ser ejaculado.
Agora a residência vira rotina e a dor do engano
O castiga, os cânticos não são mais entoados na igreja
E seus olhos não podem olhar mais para os olhos de sua esposa.
Então, a consciência lhe pergunta: por que não foi mais prudente?