segunda-feira, 25 de junho de 2012

SEDENTO DE AMOR






O Amor que se busca loucamente,
Como andarilho sedento no deserto
À procura d’água torturando a mente,
Mas o amor só se encontra em um cacto.

A Técnica de sobrevivência o mantém
E com a sabedoria o amor se afirma.
Vale andar quilômetros sem o seu néctar
E não desistir nunca porque ele o mantém

Nesta Vida e lhe da esperança na alma.
Transforma alucinações em realidades,
Assim como a água faz hidratar as células
E as fortifica no corpo com sua eletricidade.

O amor é vida, que com risadas no silêncio,
Faz as lágrimas, do rosto alegre; o casal reinar
No leito sem mácula, cheio de prazer o sorriso
Da satisfação de na velhice gozar esta experiência.