segunda-feira, 25 de junho de 2012

Linguagem uma ferramenta de salvação ou de condenação











O ensino deixado pelo Senhor Jesus Cristo nos dá o conforto de que todos quanto o aceitarem como Senhor e Salvador serão salvos. Diante desta afirmativa, mesmo assim, alguns se apropriam de teorias teológicas com a finalidade de afirmarem que todas as pessoas alcançadas pela salvação em Cristo a obtém para sempre, não precisando fazer nada mais, pois já foram salvos e já possuem acesso direto ao Reino de Deus.

Mas o que é salvação? De acordo com o Michaelis Moderno Dicionário da Língua Portuguesa: sf (lat salvatione) ... 4 Redenção. 5 Ecles A bem-aventurança ou a felicidade eterna. Entretanto o conceito teológico se divide em vários seguimentos, nestes encontramos em vários sites, em especial o http://www.ibiblia.net/, autor Claudio Crispim: "a) A principal figura dos reformadores foi Martinho Lutero (1483- 1546) teólogo alemão, que se insurgiu contra o papado ao defender que a salvação em Cristo é por meio da graça; b) João Calvino (1509-1564), teólogo cristão francês, continuou a reforma protestante defendendo a salvação pela graça. Calvino foi além na sua defesa da salvação pela graça. Para explicar os entraves e questionamentos acerca da justiça de Deus, surgiram as explicações da eleição incondicional ou predestinação, a redenção particular (ou expiação limitada), a graça irresistível (chamada eficaz) e a perseverança dos santos; e c) um dos seus seguidores, Jacobus Armínios (1560 - 1609), teólogo holandês, acabou por discordar de que a eleição decorre da soberania divina. Armínios Passou a defender que a eleição se dá através da presciência de Deus. Para os arminianistas Deus elege ou reprova as pessoas com base na fé ou na incredulidade prevista. Para defenderem este posicionamento alegam que Cristo morreu por todos os homens, mesmo que seja necessário crer para serem salvos. Por intermédio da graça divina o homem alcança fé, mas tal graça é plenamente resistível." Uma questão de linguagem que divide ainda mais o seu entendimento e o afasta da esperança de um dia poder se encontrar com Deus e ter o privilégio de ser chamado FILHO DE DEUS.

Como escolher o melhor caminho? Se tornar ateu vai ficar pior. Então o que fazer? Você já ouviu falar da Bíblia? Aprendeu sobre interpretação de texto? Pois é, Deus tomou o cuidado de deixar tudo na linguagem do homem, de forma clara, coerente e coeso, você lê e entende – salvo rara exceção. Aquelas em temos que recorrer a simbologia, hermenêutica e exegese. A exemplo as afirmações do próprio Senhor Jesus Cristo, quando encarnado no corpo humano, como filho de Maria (engravidada pela unção do Espírito Santo) e reconhecido por José (o pai eleito por Deus), segue os registros:
Marcos 16
15 E disse-lhes: Ide por todo o mundo, pregai o evangelho a toda criatura.
16 Quem crer e for batizado será salvo; mas quem não crer será condenado.
João 3
15 Para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna.
16 Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna.
17 Porque Deus enviou o seu Filho ao mundo, não para que condenasse o mundo, mas para que o mundo fosse salvo por ele.
18 Quem crê nele não é condenado; mas quem não crê já está condenado, porquanto não crê no nome do unigênito Filho de Deus.
Romanos 5
10 Porque se nós, sendo inimigos, fomos reconciliados com Deus pela morte de seu Filho, muito mais, tendo sido já reconciliados, seremos salvos pela sua vida.

Segue agora as provas literárias de que para alcançar é necessário se manter fiel, honesto, obediente, conforme as seguintes ensinamentos apostólicos:
Efésios 2
8 Porque pela graça sois salvos, por meio da fé; e isto não vem de vós, é dom de Deus.
9 Não vem das obras, para que ninguém se glorie;
Tito 3
5 Não pelas obras de justiça que houvéssemos feito, mas segundo a sua misericórdia, nos salvou pela lavagem da regeneração e da renovação do Espírito Santo,

Quando ocorre a exclusão do livro da vida, perdendo o direito de ser um salvo:
I Corintios 6
9 Não sabeis que os injustos não hão de herdar o reino de Deus? Não erreis: nem os devassos, nem os idólatras, nem os adúlteros, nem os efeminados, nem os sodomitas,
10 nem os ladrões, nem os avarentos, nem os bêbados, nem os maldizentes, nem os roubadores herdarão o reino de Deus.
I Timóteo 1
9 Sabendo isto, que a lei não é feita para o justo, mas para os injustos e obstinados, para os ímpios e pecadores, para os profanos e irreligiosos, para os parricidas e matricidas, para os homicidas,
10 Para os devassos, para os sodomitas, para os roubadores de homens, para os mentirosos, para os perjuros, e para o que for contrário à sã doutrina,
Galatas 5
19 Porque as obras da carne são manifestas, as quais são: adultério, prostituição, impureza, lascívia,
20 Idolatria, feitiçaria, inimizades, porfias, emulações, iras, pelejas, dissensões, heresias,
21 Invejas, homicídios, bebedices, glutonarias, e coisas semelhantes a estas, acerca das quais vos declaro, como já antes vos disse, que os que cometem tais coisas não herdarão o reino de Deus.
Apocalipse 22
14 Bem-aventurados aqueles que guardam os seus mandamentos, para que tenham direito à árvore da vida, e possam entrar na cidade pelas portas.
15 Ficarão de fora os cães e os feiticeiros, e os que se prostituem, e os homicidas, e os idólatras, e qualquer que ama e comete a mentira.

Diante das exposições de teologia e transcrição fiel dos textos BÍBLICOS, fica claro que os desencontros de linguagem são provocados por homens religiosos, ou seja, que fundamentam sua fé em regras próprias, adulterando os textos sagrados para tirar proveito financeiro, ou simplesmente por orgulho e perversidade, existindo ainda outros efeitos psicológicos, os quais não quero falar agora, a fim de não provocar desgastes haja vista ser o texto ora apresentado um tanto cansativo, mas não havia outra forma de comunicação para expor estas verdades.