quarta-feira, 6 de junho de 2012

LIBERDADE E LIBERTINAGEM COM MUITA DEMOCRACIA














Nada minha alma na estupidez da multidão, que sempre segue as ondas do momento. Um ato precipitado por não saber a origem da onda e nem definir o momento, seja agora ou depois. Mas, para que se atirar no vácuo, pois o momento é um tempo e este pode não ter acontecido. Nem mesmo para o seu criador, o qual mergulhado numa depressão por não entender o motivo da onda, se o que ele só queria mesmo é usar uma calça jeans rasgada e sob o efeito da droga fazer aquele movimento corporal exótico, cantando uma música de poucas notas, baseadas na percussão misturada com uma letra com conteúdo de uma ou duas orações, aliais, o que são orações? Períodos? Concordâncias? Sabe lá o que? O importante era repetir aquelas poucas palavras, sem coerência, mas repleta de ambiguidade excita o povo à droga e muito erotismo.
Não importa para onde estamos indo, se para o céu, ou para o inferno, assim caminha a geração desse século presente. Os conceitos mudam a cada novela, a cada filme, a cada música, para que assistir jornal? Para que ir a escola? Se sempre tem um jeito de viver nesse país onde as leis nascem como mato e dá para todos sobreviverem. Tem vegetal para todo gosto e para toda raça. Se alguém não concordar aciona-se a polícia e o”homofóbico” é detido, a liberdade agora foi escravizada pela libertinagem e a democracia liberou a sacanagem, agora é o momento, a onda é fazer o que quiser: sexo na rua, no jardim, no cinema, na praia, na igreja! O negócio é homem com homem e mulher com mulher. Se quiser pode ficar com homem e mulher, viva a lei! Viva a liberdade imposta pela minoria! Que se dane o negro que continua brigando para ser aceito na sociedade desde a descoberta do Brasil! Que se dane a família, que luta para viver com o salário mínimo! A maioria não interessa! Essa é a onda: o errado virar certo! CPI só para os espertos que sempre vão ficar ricos e liberto