quarta-feira, 20 de junho de 2012

AMOR SEM CULPAS






Deus não nos fez escravizados pelo corpo
E preso aos seus desejos, que sempre surgem
Inesperadamente complicando o relacionamento,
Que deixa o ser humano sem saber explicar a origem

Deste ímpeto que é quase impossível de reter.
Na área da autoproteção vem ocorrer com ele a violência,
Que nasce a partir do ponto da emoção de conhecer
Uma pessoa, que nunca viu e sem registrar a ciência

Explode em cadeias a emoção, como em um turbilhão
De sonhos quase reais, declarando que é o destino
Escondido em algum lugar nos esconderijos da paixão.
Sensações com efeitos dominó levando a dois caminhos:

O do matrimônio, ou ao da loucura levando aos desfechos:
O amor platônico, ou a dor do inconformismo da derrota.
Entretanto, estamos presos aos sentimentos variados,
Que nascem do amor em sua multiforme ação avassaladora.

Provadas pelas glândulas sudoríparas que é a alvorada
De um novo amanhecer, uma vida cheia de emoções,
Ativada por milésimos de segundos, dá a vitória a amada.
As glândulas sexuais não foram criadas por nossas ações,

Mas, pela maravilhosa ação de Deus desde a fundação
Do mundo, entregando ao homem a felicidade do prazer,
Assim, por que sofrer? Por que tanta culpa no coração?
Não se deve fugir a razão que propôs Deus ao criar você.

O pecado é o argumento dos puritanos, daqueles cegos,
Que ainda não aprenderam amar com o verdadeiro amor,
Uma dádiva de Deus, que nos ensina a não tirar proveito
Próprio, a não se comportar com indecência e dividir a dor.

Se enganar o prazer não é excelso, o clímax é falso
E a amada não fica realizada, porque a tristeza tomará lugar
Da explosão estupenda que só terá aquele que for esperto.
Quebrar essa culpa é amar com espírito, CORPO e ALMA.